Vidrou no Hundertwasser?

Então vá atrás. Ele não tem Tweeter e nem precisa. Seus seguidores estão conectados em outra rede, bem mais interessante e complexa. No Brasil, tem pouca coisa publicada sobre ele (em português, que eu saiba, nada além do verbete da Wikipédia e de umas coisas meio suspeitas na rede, algumas até que legais). A Taschen tem um bom livro iniciático à vida-obra desse maluco beleza: ” The power of art: Hundertwasser, the painter-king with five skins”, de Pierre Restany. Se você não entendeu esta conexão, vá para a categoria ANIMAMUNDI  e leia o post “Neobárbaros no rastro de Héstia: Hundertwasser”.