“O círculo do destino”: a redundância que não vira clichê

Como cheira bem esse livro! Tinta vegetal, papel artesanal, óleo de linhaça, fumaça de fogareiro,  chapati tostado, lã secando ao sol… Duvida? Então vá lá na livraria cheirá-lo pessoalmente. É claro que, para você, os perfumes evocados serão outros. É também muito bom de tatear o seu papel granulado, espessado pelas camadas de tinta. Ganhei ele de presente de natal da Suzana, que sofre de incontinência dadivosa. Sou, inclusive, muito grata a ela por não ter se tratado dessa doencinha benigna. Num ano de livros lindíssimos (o Vermelho de Jung, por exemplo), “O círculo do destino” (de Radha Raut, Raja Mohanty e Sirish Rao, editado pela Martins Fontes) arrasa, com suas cores chapadas, seus delicados padrões étnicos de fundo, suas personagens solenes e a versão hindu de uma história que ecoa infinitas outras. Eu, pelo menos, conheço várias narrativas parecidas: uma, tradicional judaica; outra, islâmica; outra ainda, nordestina de Pernambuco; mais uma, da tradição caipira paulista; mais outra, mexicana… Conheço tantas versões dessa história – a do sujeito que tenta enganar a Morte – e, ainda assim, me surpreendi no final do livro. Talvez seja efeito da beleza. Talvez da força que subjaz às coisas muito antigas e que continuam tão misteriosas como quando eram novas. O texto, enxuto e preciso, apenas garante a coesão das imagens. No final, ficamos sabendo que as ilustrações seguem o estilo Patachitra de Orissa, uma cidade do leste da Índia, que começou com os artistas pintando histórias de deuses em “grafites”, nos muros dos templos da cidade. Os devotos queriam levar as histórias para casa e os artistas começaram então a imprimi-las em cartões, pergaminhos e até brinquedos. A tradição patachitra continua, nos dias de hoje, sendo transmitida de pai para filho. Gostei muito do tempero que essas informações deram à história, o que tornou o livro, já tão sensorial, também muito saboroso, ao estilo forte, colorido e picante da boa culinária indiana. Nós, comedores de livros – gente, traça ou broca-, adoramos falar dessas coisas. Boa leitura e … bom apetite!

Anúncios

2 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Fabiana Prando
    nov 29, 2010 @ 12:31:23

    Eli!
    Irresistível, o livro me fisgou… Passei numa livraria para presentear um colega da escola do meu filho e lá estava ele me chamando da estante. Li, reli, toquei e, depois do seu post, cheirei. Um presente para todos os Natais… Recomendo!
    Bjs,
    Fabi

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: